Este ano, a Jornada do Patrimônio busca refletir sobre o diálogo dos bens culturais com o presente e o futuro da cidade, dentro do tema “Construindo Histórias”.

Esse tema foi dividido em sete eixos com programação especial neste ano: estudar, trabalhar, morar, comprar e vender, circular, passear e lembrar.

No eixo “Passear” serão exploradas as permanências e mudanças no modo de de se divertir dos paulistanos, desde o “footing” que as famílias faziam no início do século passado no Parque da Luz, os primeiros espetáculos de circo, origem da cena teatral paulistana, até os cinemas da antiga Cinelândia.

PONTO FOCAL

O imóvel escolhido para representar o eixo Passear foi o edifício sede do “União Fraterna”, uma antiga associação de ajuda mútua dos imigrantes italianos onde ocorriam e ainda ocorrem muitos bailes.

Além da exposição sobre o tema, com fotos do acervo do Museu da Cidade de São Paulo, o imóvel receberá uma Homenagem ao Samba-Rock, patrimônio imaterial da cidade de São Paulo. O tributo será feita pelos grupos Farufyno, Os Opalas e O Baile do Simonal.

Foi somente no século 19 que o tempo livre, de lazer e socialização ganhou maior valor. Em São Paulo o Jardim da Luz, inaugurado no fim do século 19, considerado o primeiro parque da cidade, era o lugar onde as famílias passeavam para fazer “uma social”. O roteiro “Trilhando o Jardim da Luz: memórias de um patrimônio ambiental urbano” aborda aspectos patrimoniais, geográficos, históricos, culturais, socioambientais e da fauna e flora do Jardim da Luz.

Na primeira metade do século 20, a cidade se alterou profundamente. As novas tecnologias permitiram outros modos de ocupar o espaço urbano. O cinema e o esporte se firmam como uma das principais formas de lazer. Neste momento foi construído o Jockey Club de São Paulo, localizado próximo a Marginal Pinheiros. Já a inauguração do Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho, na década de 1940, mobilizou torcedores de diversos times.

Hoje ir ao cinema é um ato corriqueiro. Porém, no começo do século passado esse era um importante evento social, e as salas de cinema poderiam ser tão sofisticadas quanto uma sala de concertos. O roteiro autoguiado em forma de cartões destacáveis, elaborado em uma parceria do Sesc com o DPH, propõe um passeio pelos antigos cinemas do centro de São Paulo. Os kits com ser retirados na unidade do Sesc 24 de Maio durante a Jornada.

Conheça outros eventos do eixo “Passear

Imóveis
União Fraterna
Igreja de Nossa Senhora da Boa Morte
Theatro Municipal de São Paulo
Santuário e Convento São Francisco
Casa de Portugal
Casa do Povo
Mosteiro da Luz e Museu de Arte Sacra
Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho (Pacaembu) e Museu do Futebol
Teatro de Arena Eugênio Kusnet
Ponto Chic
Museu Brasileiro da Escultura e Ecologia (Mube)
Jockey Club de São Paulo – Hipódromo Paulistano
Praça das Artes – Sala do Conservatório
Centro Cultural São Paulo – CCSP
Centro de Referência de Dança
Paróquia Nossa Senhora da Consolação
Museu do Jaçanã
Galeria Olido – Centro de Memória do Circo e Cine Olido
Igreja da Colônia

Memórias em Trânsito
Trilhando o Jardim da Luz: memórias de um patrimônio ambiental urbano
Largo do Paissandu, onde o circo se encontra
Curiosidades e personagens do futebol paulistano, por Charles Miller
Na trilha dos campeões paulistas de futebol de 1902, por Charles Miller
Pacaembu de todas as memórias
Arte-Circuito Sé

Palestras e Oficinas
A restauração do mosaico do Teatro Cultura Artística (2010-2011)
Dos Campos de Piratininga à metrópole: histórias da cidade no Jardim da Luz
As ordens religiosas e suas festividades: as rotas processionais em São Paulo
FotoJornada do Patrimônio 2017 Construindo Histórias: Lembrar e Se Divertir
São Paulo Postal no Largo do Paissandu
Jogo Pakayemby

Exposição
Construindo Histórias – Passear em São Paulo – União Fraterna