Os distritos do Jabaquara, Pedreira e Cidade Ademar pertenciam originalmente ao município de Santo Amaro, que foi integrado a São Paulo em 1935. Dos três bairros, o Jabaquara é a ocupação mais antiga, vinculada a antigas sesmarias e a caminhos que levavam à região da Serra e ao litoral. Já a urbanização de Pedreira e Cidade Ademar ocorreu durante a década de 1960 e está relacionado à industrialização da zona sul.

 

Jabaquara

Localizado ao longo do que era o caminho para Santo Amaro e Borda do Campo, o Jabaquara era área de descanso para os viajantes. A mata deserta e a proximidade a trilhas que desciam a Serra do Mar serviu como esconderijo para escravos fugidos com destino ao Quilombo Jabaquara, em Santos.

Raro remanescente de construção rural do período colonial, a Casa do Sítio da Ressaca, de 1719, edificada em taipa de pilão, possui uma planta atípica. Diferente das outras casas bandeiristas nesta o alpendre não é centralizado. Essa edificação integra o Museu da Cidade de São Paulo e localiza-se numa área pública que abriga, também, o Centro Cultural do Jabaquara, onde funciona o Acervo da Memória e do Viver Afro-Brasileiro.

Sítio da Ressaca/Autor desconhecido/Acervo Fotográfico do Arquivo Histórico de São Paulo

No Jabaquara também fica o Terreiro Axé Ilê Obá, tombado pelo Condephaat em 1990, devido a importância das religiões de matriz africana na formação da identidade cultural brasileira. Trata-se do segundo terreiro de candomblé reconhecido como patrimônio cultural no Brasil, precedido apenas pelo tombamento do Terreiro da Casa Branca do Engenho Velho (Ilê Axé Iyá Nassô Oká), em Salvador, protegido pelo Iphan em 1984.

O bairro recebeu uma linha de bonde na década de 1930 e, em 1974, o primeiro trecho da Linha 1-Azul do Metrô, que inicialmente ligava o Jabaquara à Vila Mariana. Estes elementos associados à construção do Aeroporto de Congonhas e a Paróquia São Judas Tadeu, na década de 1940, contribuíram para a consolidação do bairro.

Pedreira e Cidade Ademar

Os bairros de Cidade Ademar e Pedreira surgiram na década de 1960, no contexto da modernização industrial, com a construção de rodovias e a instalação de grandes indústrias, dentro do Plano de Metas aplicado por Juscelino Kubitschek na década anterior. Os sítios da região foram parcelados e houve a criação de bairros dormitório para os trabalhadores das fábricas.

Um grande parque industrial foi construído na região sul de São Paulo, próximo a eixos rodoviários e marginais. Junto às fábricas, chegaram migrantes de diversas partes do país, em busca de emprego e melhor qualidade de vida. Inicia-se o loteamento, algumas vezes irregular, de terrenos cada vez mais baratos e distantes do centro, porém próximos aos distritos industriais.

Parte da zona sul pertence a áreas de proteção ambiental que possuem leis específicas para ocupação residencial e não residencial. Guardam nascentes e biomas da Mata Atlântica, com fauna e flora diversificada e algumas em risco de extinção. Parte da represa Billings, uma das principais da região metropolitana de São Paulo, fica em Pedreiras.

Represa Billings, 2004/Cecilia Laszkiewicz/Acervo Fotográfico do Arquivo Histórico de São Paulo

Sul 4 – Jabaquara, Pedreira e Cidade Ademar